Tag: Scarlett Johansson

Review – A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell (2017).

Por Calil Neto

24 de julho de 2017

O filme A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell foi subestimado na época de seu lançamento nos cinemas ao redor do mundo e é estrelado por uma das atrizes mais requisitadas em Hollywood neste começo de século, Scarlett Johansson.

O longa é a adaptação do mangá de Shirow Masamune que ganhou um dos animes nos anos 90 mais queridos pelo público, Fantasma do Futuro, dirigido por  Mamoru Oshii, que se tornou com o passar do tempo cult. Esta bela adaptação em live-action dirigida por Rupert Sanders de Fantasma do Futuro (1995), A Vigilante do Amanhã, título que ganhou no Brasil, é um filme profundo e filosófico, e pega a premissa do universo de Ghost in the Shell em um mundo “dominado” pelas máquinas, a Inteligência Artificial e o mais importante, a tecnologia. Reflete também o que seria o ser humano sem a sua memória e lembranças?

É um universo que não deixa de ser uma crítica à modernidade e pós-modernidade. Pode parecer brincadeira, mas não deixa de ser uma crítica ao sistema dominado pelas tecnologias. Ao nosso mundo atual. A dependência do ser humano em relação às tecnologias.

Belo filme, muito bem produzido com os seus efeitos digitais! Vai se tornar um grande filme-adaptado com a passagem do tempo, não somente pela produção, mas também por sua mensagem e crítica social! Apesar de existirem outros filmes que façam essa crítica.

Nota: 3,5 de 5,0.

Lucy (2014).

Lucy-2014-Movie-poster

Por Calil Neto

Uma das atrizes mais requisitadas na atual geração, Scarlett Johansson, é a protagonista Lucy na ficção científica Lucy (2014). O que você faria se conseguisse usufruir 100 % da capacidade do seu cérebro?

A premissa interessantíssima é essa para o enredo de Lucy (2014), dirigida e escrita por Luc Besson (O Quinto Elemento) que teve o orçamento de 40 milhões de dólares.

Cara de safadinha.
Cara de safadinha.

Na trama uma gangue de coreanos em Taiwan colocam alguns pacotes de drogas com hormônio sintético no interior do corpo de Lucy após seqüestrar e abusar da garota, com o intuito de ela e outros desconhecidos serem mulas dessas drogas ao redor do mundo. Lucy ganha estranhos poderes com o aumento de sua capacidade cerebral e agora quer se vingar desses traficantes. Em alguns momentos Lucy consegue se teletransportar no tempo-espaço na era dos homens pré-históricos e na época dos dinossauros.

Lucy-Morgan-Freeman-Scarlett-Johansson

Tem uma cena que mencionam que o conhecimento não traz o caos na sociedade, mas sim a falta do conhecimento. Tem alguns tiroteios e cenas de lutas que me lembraram da franquia Matrix.

lucy-scarlett-johansson-picture1

Um belíssimo filme com belíssimos efeitos visuais e especiais.

Nota:3,0 de 5,0.

Scarlett Johansson estrela Sob a Pele no papel de uma bela e perigosa alienígena.

under-the-skin

 

Por Calil Neto

Scarlett Johansson (Os Vingadores) é a protagonista do filme Under the Skin (Sob a Pele – 2013), que tem estréia agendada aos cinemas brasileiros em 15 de maio (segundo IMDB) e mostra a bela atriz como uma alienígena que seduz humanos para depois exterminá-los.

A produção inglesa dirigida pelo inglês Jonathan Glazer é baseada no romance de Michel Faber. No filme temos cenas sensuais e a nudez de Scarlett para deixar os marmanjos (ainda mais) abobados.

CONFIRA O TRAILER E A  BELA SCARLETT EM CENAS QUENTES DE SOB A PELE:

scarlett

jeNMQO2

 

 

Hitchcock (2012).

Hitchcock (2012)

Por Calil Neto

Consegui conferir na telona, o belíssimo Hitchcock, dirigido pelo inglês Sacha Gervasi, com atores de peso como Anthony Hopkins, Helen Mirren, e a bela e competente Scarlett Johansson (Os Vingadores). O filme é baseado no livro de Stephen Rebello Alfred Hitchcock and the Making of Psycho (Alfred Hitchcock e os Bastidores de Psicose), lançado somente agora no Brasil pela Intrinseca 22 anos após o lançamento nos EUA.

Hitchcock, que durante parte de sua vida dirigiu filmes na Inglaterra e depois veio para os Estados Unidos, dirigiu até filme-mudo como O Inquilino de 1927, revela as negociações para o desenvolvimento e a distribuição do mais célebre filme da carreira do diretor inglês (falecido em 1980), Psicose (Psycho ), e os seus bastidores, arrecadando este a maior bilheteria de Hitchcock (50 milhões dólares no mundo todo), custando apenas 800.000 dólares oriundos do bolso do próprio diretor.

O diretor comprou os direitos do romance de Robert Bloch e teve dificuldades em encontrar um estúdio que produzisse seu filme de terror,  baseado na história verídica do assassino Ed Gein, que serviu também de inspiração para outro clássico, O Massacre da Serra Elétrica (1974), de Tobe Hooper, e o O Silêncio dos Inocentes (1991), de Jonathan Demme.

Hitchcock entrou em dívidas e financiou a produção de seu mais novo filme Psicose (Psycho )com a distribuição nos cinemas garantida pela Paramount.

Em Hitchcock (2012) vemos o uso constante da metalinguagem, (como a produção de um filme dentro do próprio filme), presenciando alguma cenas de Psicose como a cena em que Janet Leigh – Marion Crane (Scarlett Johansson) está dirigindo seu carro na estrada (à caminho do Bates Motel), e a paisagem de fundo é projetada em uma tela, parecendo que a atriz realmente está em um veículo em movimento (para a época), e a famosa cena clássica do chuveiro com a trilha sonora de Bernard Herrmann, frequente colaborador do diretor.

Hitchcock

A aparência do ator Antony Hopkins foi   totalmente modificada, com o uso de maquiagens e (creio eu!!!) enchimentos na barriga por exemplo, para a interpretação do mestre do suspense inglês. A interpretação e a forma de andar do personagem estão muito fiéis ao do diretor. Gostei muito!!!! Sempre fui fã de Hopkins, e minha adoração agora por seu trabalho aumentou ainda mais com sua atuação em Hitchcock!!!

Hitchcock retrata muito bem a época (anos 60), com as vestimentas e os carros de época, em uma belíssima direção de arte, em um belíssimo passatempo para quem curte filmes das antigas e o trabalho e carreira dessa lenda cultuada até o dias de hoje que foi Hitchcock.

Para os desavisados, a vida de Hicthcock não era moleza , pois existiam os conflitos dentro e fora dos estúdios de gravação, e temos drama em maior parte de sua exibição, mas muita informação, resgatando ao público e a novas gerações,  um pouco mais da vida e da trajetória deste que foi o mestre do suspense e uma das grande lendas do cinema mundial, influência até hoje para diretores mais novos como o italiano Dario Argento.

Hitchcock teve a indicação da talentossérrima Hellen Mirren como melhor Atriz de Drama no Globo de Ouro 2013 (não venceu) e foi indicado ao Oscar do mesmo ano na categoria de maquiagem e cabelo, também saindo sem a estatueta.

Hitchcock (2012)  retrata a vida e obra de um diretor inesquecível.

Nota: 4,0 de 5,0.