Review – Silêncio (2016) .

Por Calil Neto

06 de setembro de 2017.

O diretor norte-americano Martin Scorsese acerta em cheio em alguns momentos de sua carreira e dirige algumas obras-primas, como Silêncio de 2016, estrelado por alguns atores em alta em Hollywood, como Andrew Garfield e Adam Driver juntos com Liam Neeson em um papel mais maduro e diferente da atuação em seus action movies. No século XVII dois jesuítas portugueses, personagens de Andrew e Adam Driver, vão ao Japão atrás do padre mentor vivido por Neeson. No Japão está a Inquisição que vai atrás dos cristãos e padres católicos, e pedem a eles que renunciem a sua religião na apostasia e deixe Jesus de lado, pedindo às vezes a cristãos que pisem em uma imagem de Jesus Cristo.

Belíssimo filme visualmente, com belíssimas localidades com competente direção de arte e fotografia.

A produção teve como base o livro Chinmoku ( O Silêncio , 1966), do escritor católico japonês Shusaku Endo.

Após a morte de Jesus, 33 DC, diversos apóstolos de Jesus, entre os 12, foram mortos de maneira drástica por estarem difundindo os ensinamentos cristãos de Jesus. E não foi diferente após milhares de anos com diversos jesuítas ao redor do mundo. Um lindo filme e enriquecedor!

Um dos mais belos filmes desse século! CAPRICHARAM!

Nota: 4,5 de 5,0.

Anúncios

Review – Life itself – A Vida de Roger Ebert (2014).

 

Por Calil Neto 

16 de julho de 2016.

Roger Ebert foi um dos maiores críticos que os Estados Unidos e a língua inglesa já tiveram e ganhador do prestigiado e aclamado Prêmio Pulitzer. Neste longa-documentário de 2014 com produção da CNN FilmsLife itself – A Vida de Roger Ebert, com estreia no Festival de Sundance do mesmo ano, temos a vida do respeitado jornalista, crítico de cinema, apresentador de televisão, repórter, escritor e roteirista de cinema.

O longa é dirigido por Steve James, que adaptou o livro de memórias do profissional da escrita que faleceu em 2013 de câncer diagnosticado na tireoíde em 2002 e não estava podendo falar (se comunicava por um aparelho) e comer. Roger Ebert já sabia da existência do documentário e diversas entrevistas foram realizadas com ele. Aborda a carreira, a vida, e os seus últimos meses de vida.

Fala da parceria e do carinho da esposa Chaz Ebert, paixão de sua vida, casou com ela aos 50 anos. que ficou com o marido até o seu falecimento. Fala da época em que roteirizou o filme do diretor Russ Meyer, ex-fotógrafo da revista Playboy, De Volta ao Vale das Bonecas de 1970 para o grande estúdio da FOX.

Aborda a época de jornalista, da ocasião que fez crítica de cinema na televisão com o crítico de cinema Gene Siskel : eram que nem dois irmãos brigãos. Aborda depoimentos de pessoas da televisão: produtores, produtores executivos. Tem depoimento de amigos e fãs de seu trabalho como os diretores Martin Scorsese (quem Ebert sempre elogiava e é o produtor executivo deste documentário) e Werner Herzog.

 Nota: 4,0 de 5,0.