Review – Starman – O Homem das Estrelas (1984).

 

Por Calil Neto

14 de novembro de 2017.

Starman – O Homem das Estrelas, produção de 1984, é mais um belo filme da filmografia do diretor norte-americano John Carpenter, com produção executiva de nada mais nada menos do que do também ator Michael Douglas (de Instinto Selvagem – 1992). Larry J. Franco, frequente colaborar de Carpenter, também está na produção. Jack Nitzsche é o responsável pela belíssima, rica e emocionante trilha sonora.

Neste longa com roteiro de Bruce A. Evans e Raynold Gideon, o protagonista é vivido pelo competente ator Jeff Bridges, em um dos grandes papéis de sua carreira em belíssima atuação representando um ser de outro planeta, que tem um relacionamento com a terráquea Jenny Hayden (Karen Allen) e tem que ir para o Arizona para encontrar a sua nave espacial. O alienígena fica espionando um álbum de fotos de Jenny, e se transforma em seu marido morto em um acidente. Um filme com belíssimo efeito especial, na transformação em um bebê que virá a ser a cópia do ex-marido de Jenny. O filme deve ter seguido a onda do sucesso do clássico E.T: O Extraterrestre de 1982 de Steven Spielberg, mas em um estilo serião, e não destinado principalmente ao público infanto-juvenil. A polícia parte atrás do suposto para eles alienígena. No começo de Starman quando aparece o personagem de Jeff Bridges sem roupa, não sei se essa cena em especial teria influenciado o personagem de Arnold Schwarzenegger em O Exterminador do Futuro de 1984 de James Cameron.  Uma mistura de sci-fi com road movie.

 

Um dos mais belos e emotivos filmes de John Carpenter com ótima carga dramática!!! Adoro os trabalhos do diretor.

 

Nota: 3,5 de 5,0.

Anúncios

Review – King Kong (1976).

Por Calil Neto

15 de março de 2017

King Kong de 1976 é um dos filmes mais famosos do gorila mais prestigiado do cinema. Eu costumo sempre ler entre comentários das pessoas, principalmente nascidas entre os anos 70 e 80 (eu me incluo!), que os filmes produzidos nessas épocas sãos os melhores, e os filmes mais recentes de 2000 para a frente abusam da computação gráfica e não são como seus antecessores.

Eu sei que a garotada curte e muito esses filmes atuais. Sem desmerecê-los.

King Kong de 76 é estrelado por dois ícones do cinema, Jessica Lange (com grande destaque na sua beleza e por que não dizer também boa atuação que foi melhorando com o tempo) e Jeff Bridges, que em 1982 se destacaria no filme clássico da Disney, Tron – Uma Odisséia Eletrônica. Vale lembrar que a atriz Jessica Lange também se destacaria recentemente na televisão, no atualíssimo e elogiado seriado American Horror Story.

 

No longa dirigido muito bem por  John Guillermin adaptado do longa de 1933 é produzido pelo lendário Dino De Laurentiis, produtor de Flash Gordon de 80, Conan, o Bárbaro de 1982, e produtor executivo de king Kong 2, com auxílio do filho Federico De Laurentiis, sendo que o primeiro teve a idéia de realizar o remake do primeiro filme e ainda produzir também a sua sequência. O filme de 1933 foi realizado com a técnica de stop motion e esse remake de 1976, Rick Baker se fantasiou do gorila.  O gorila mecânico desenhado pelo lendário Carlo Rambaldi aparece em pouquíssimos momentos.

Rick Baker

O roteiro do filme não foge muito do roteiro do filme original: um grupo que parte com uma expedição para uma região isolada e encontra o famoso gigante gorila que se apaixona pela mocinha.  Eu acho válido eles continuarem produzindo filmes com o gigante gorila, até com crossover com o monstro japonês Godzilla, mas acho esse filme de 76 o seu melhor filme.

Nota: 4,0 de 5,0.