Tag: Japão

Review – School of the Holy Beast (Seijû gakuen – 1974 – Japão).

Por Calil Neto

05 de julho de 2017.

Eu adoro o cinema japonês e fui atrás dessa pérola do cinema extremo do Japão, dentro do subgênero nunsploitation, School of the Holy Beast (Seijû gakuen – 1974 – Japão), dirigido e escrito por Noribumi Suzuki, falecido em 2014, que mistura violência com sexo e nudez dentro de um convento conhecido como Sagrado Coração.

É inevitável não citar no texto no libertino francês Marquês de Sade com as suas obras repletas de violência ao extremo de onde vem o famoso termo sadismo.

SPOILERS.

No roteiro também escrito por Masahiro Kakefuda temos a personagem Maya Takigawa, vivida pela atriz Yumi Takigawa, que se isola em um convento para saber mais a respeito de sua mãe que foi moradora do mesmo convento e que morreu misteriosamente após o parto e saber mais a respeito de seu pai que veremos do decorrer do filme que se trata de um padre. ALGO NA ÉPOCA QUE SERIA INIMAGINÁVEL! Um filme com sexo (nada tão explicito!), nudez das personagens, lesbianismo da madre superiora que não deixa de ser uma crítica a Igreja Católica e ao sistema da Igreja com seus membros.

School of the Holy Beast é um filme que não é para qualquer tipo de público e um dos grandes clássicos e nomes dentro do subgênero nunsploitation. Que mesmo apesar de ser do cinema extremo asiático, não deixa de ser um belo filme com belas imagens!!!! FILMAÇO!

Nota: 4,0 de 5,0.

Review: Sadako VS Kayako (2016).

maxresdefault

Por Calil Neto

A gente costuma falar que a indústria de cinema norte-americana costuma copiar os japoneses com os remakes dos filmes japoneses. Agora são os japoneses que estão copiando Hollywood vide Freddy Krueger VS Jason, com o crossover entre dois grandes vilões do terror dos Estados Unidos.

Com esse crossover entre dois grandes vilões do cinema recente de terror japonês, pertencente ao J-Horror, a Sadako Yamamura (Elly Nanami) da franquia O Chamado e a Kayako Saeki (Runa Endo), da franquia O Grito, com essa novidade Sadako VS Kayako (2016), ou traduzindo para o português: O Chamado Vs O Grito.

Toshio (Rintaro Shibamoto), é filho de Kayako, e na casa onde moram aconteceu uma tragédia envolvendo toda a família. Não vou contar em detalhes, mas foi isso resumidamente que aconteceu. A casa onde moram após o incidente se tornou assombrada por seus espíritos. Já para chamar a Sadako, outro espírito em sofrimento como aborda muitos filmes de terror principalmente do cinema asiático, a pessoa precisa assistir a um filme que está em uma fita VHS e nela está presente Sadako.  A partir daí o telefone mais próximo toca e a maldição para a pessoa já está valendo. A pessoa que viu a fita vai morrer em 2 dias.

522126

O crossover não deixa de mencionar um pouco o que acontece nas duas franquias de terror do cinema japonês. A franquia Ringu: O Chamado (1998) é antecessora de O Grito, Ju-On, de 2002, e como afirmei anteriormente ganharam graças ao seu sucesso seus remakes vindos dos Estados Unidos.

Em Sadako VS Kayako aborda-se as lendas urbanas do Japão, entre elas a lenda da fita amaldiçoada. Tem um professor em uma faculdade que fala sobre essas lendas urbanas do pais. Tem a casa mal assombrada de Kayako onde uma molecada quer invadir e saber se a casa é realmente assombrada. Tem as duas garotas que para assistir a fita de casamento de uma delas precisa arranjar e comprar um aparelho de VHS (em um antiquário) para rodar a fita e nesse aparelho está a fita amaldiçoada.

sadako-vs-kayako

Um bom filme. Não é uma obra-prima do cinema de terror japonês, ou do cinema asiático, mas é um bom filme com bom divertimento.

Nota:3,5 de 5,0.