Review – A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell (2017).

Por Calil Neto

24 de julho de 2017

O filme A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell foi subestimado na época de seu lançamento nos cinemas ao redor do mundo e é estrelado por uma das atrizes mais requisitadas em Hollywood neste começo de século, Scarlett Johansson.

O longa é a adaptação do mangá de Shirow Masamune que ganhou um dos animes nos anos 90 mais queridos pelo público, Fantasma do Futuro, dirigido por  Mamoru Oshii, que se tornou com o passar do tempo cult. Esta bela adaptação em live-action dirigida por Rupert Sanders de Fantasma do Futuro (1995), A Vigilante do Amanhã, título que ganhou no Brasil, é um filme profundo e filosófico, e pega a premissa do universo de Ghost in the Shell em um mundo “dominado” pelas máquinas, a Inteligência Artificial e o mais importante, a tecnologia. Reflete também o que seria o ser humano sem a sua memória e lembranças?

É um universo que não deixa de ser uma crítica à modernidade e pós-modernidade. Pode parecer brincadeira, mas não deixa de ser uma crítica ao sistema dominado pelas tecnologias. Ao nosso mundo atual. A dependência do ser humano em relação às tecnologias.

Belo filme, muito bem produzido com os seus efeitos digitais! Vai se tornar um grande filme-adaptado com a passagem do tempo, não somente pela produção, mas também por sua mensagem e crítica social! Apesar de existirem outros filmes que façam essa crítica.

Nota: 3,5 de 5,0.

Anúncios