Faster, Pussycat! Kill! Kill! (1965).

 

Faster Pussycat Kill Kill

 

Por Calil Neto

Russ Meyer é o rei do sexploitation, produções que exploravam o sexo e a violência, em algumas delas com nudez. Russ Meyer foi fotógrafo da revista Playboy americana e depois começou a se aventurar no cinema com produções nada convencionais para a época. A primeira câmera do diretor foi um presente de sua mãe, quando ele era pequeno.

Russ Meyer que gostava de produções envolvendo mulheres com grandes peitos tem diversos admiradores pelo mundo, entre eles o figuraça Lloyd Kaufman, presidente e co-fundador da produtora americana Troma e o diretor Quentin Tarantino.

russ-meyer4--644x362

 

Neste post vou falar de um dos maiores clássicos da filmografia de Russ Meyer, que se tornou cult com o passar dos anos, Faster, Pussycat! Kill! Kill! de 1965 com fotografia em preto e branco, que narra três dançarinas strippers que são apegadas ao dinheiro e ao sexo e querem pegar o dinheiro de um velho que mora em uma casa em um deserto com seus dois filhos e que anda em uma cadeira de rodas.

tura-satana

 

A produção envolve diálogos de duplo sentido, algumas com conotação sexual, e era violento para os padrões da época.  Participação da atriz Tura Satana no papel de Varla que faleceu em 2011 aos 72 anos.

O já falecido Russ Meyer.
O já falecido Russ Meyer.

 

Filmaço!

 

Nota: 4,0 de 5,0.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s