Mês: janeiro 2016

O aguardado A Bruxa tem data de estreia no Brasil.

A Bruxa

Por Calil Neto

A Bruxa tem a data de lançamento nos cinemas brasileiros marcado pela Universal Pictures para 03 de março de 2016.

Confira a sinopse e o trailer:

Com muitas cenas de suspense e horror, o filme A Bruxa é situado na Nova Inglaterra, no ano 1630, e é narrado pela jovem Thomasin (Anya Taylor-Joy). Após a mudança de sua família para a nova casa, coisas estranhas começam a acontecer: animais tornam-se malévolos, a plantação morre e uma criança desaparece aparentemente possuída por um espírito maligno. Desconfiados e paranoicos, os membros da família acusam a adolescente de praticar feitiçaria.

We are still here ( Ainda Estamos Aqui) – 2015.

large_idio0lO2jo8sndNPfxYiHlXZUHO

 

Por Calil Neto

Sempre curti o trabalho da atriz Barbara Crampton, rainha dos gritos nos anos 80, que é musa do diretor norte-americano Stuart Gordon, e atuou em adaptações de trabalhos de H.P. Lovecraft como Re-Animator (1985) e Do Além (1986), que se tornaram cults com o passar dos anos.

We are still here – Ainda Estamos aqui é uma produção de baixo orçamento dirigida e escrita por Ted Geoghegan em seu debut movie.

No enredo, após a morte do filho, Paul (Andrew Sensenig) e Anne (Barbara Crampton) se mudam para uma casa em uma pequena cidade do interior dos EUA para começar uma nova vida. O que eles não sabem é que a casa é mal assombrada e pertenceu a um ex-dono de uma funerária que vendia os corpos das pessoas e é uma casa que acorda de 30 em 30 anos necessitando de sacrifícios humanos e sangue. O casal vai procurar ajuda de amigos que lidam com o ocultismo para lidar com o mal que ronda a casa. A casa do longa teria sido inspirada do clássico filme de A casa do cemitério de Lucio Fulci.

we-are-still-here-banner

É uma produção que tem bem a cara dos anos 80, e que por ter Barbara Crampton no elenco vale uma espiada.

we_are_still_here_still

Um bom filme.

Nota: 3,5 de 5,0.

Labirinto – A Magia do Tempo (1986).

labyrinth_05_p-ca6d185b2a7f

 

Por Calil Neto

Agora foi a vez de fazer pela milésima vez a revisão de Labirinto – A Magia do Tempo (1986), um clássico dos anos 80 e uma produção que marcou a infância (a minha por exemplo) e de muita gente. Um filme que eu nunca canso de rever. Como eu adorava alugar o VHS desse filme e assisti-lo.

O longa é dirigido por Jim Henson que dirigiu em 1982 o clássico infantil O Cristal Encantado e é o criador dos Muppets e estrelado pelo ator e também cantor David Bowie (falecido em janeiro de 2016) junto com Jennifer Connelly, no grande papel da carreira da atriz. A produção executiva é de nada mais nada menos que George Lucas, o pai da franquia Star Wars.

Jim Henson

labyrinth-jim-henson
Jim Henson.

 

Jennifer Connelly faz uma garota de 16 anos, Sarah, que tem 13 horas para resgatar o irmão bebê das mãos do reis dos duendes, interpretado por Bowie, após ela fazer um pedido para que o irmãozinho Toby (Toby Froud) fosse levado embora. Sarah está dentro de um mundo mágico e tem alguns momentos que o filme faz lembrar o espectador de Alice no Pais das Maravilhas (1976).

 

labyrinth_movie_image_jennifer_connelly

 

A trilha sonora com David Bowie é impecável!

 

labyrinth-sarah-and-friends

labyrinth_0103

Um filme com belíssimos efeitos e bonecos muito bem trabalhados.

Labirinto é um filme mágico.

Nota: 4,0 de 5,0.