Review – No limite da Loucura (1994).

No limite da Loucura (1994)

Por Calil Neto

Com elementos da mitologia de H.P. Lovecraft, temos No limite da Loucura ou  À beira da Loucura (1994), dirigido pelo mestre John Carpenter, em uma obra cinematográfica que mistura em sua narrativa o mundo real com o mundo onírico (das alucinações  e dos sonhos).

No limite da Loucura, que tem o roteiro de Michael De Luca (A Hora do Pesadelo 6), pode também ser considerada uma belíssima homenagem aos escritores best-sellers dos Estados Unidos, como Stephen King.

No enredo, John Trent, interpretado pelo talentoso Sam Neill de Jurassic Park (1993), é um investigador de seguros, que é contratado para descobrir o paradeiro do famoso escritor de livros de horror, Sutter Cane, que deveria ter lançado seu novo livro e acabou por motivos desconhecidos (ou questão de marketing?) não lançando.

Sutter Cane é um fenômeno na literatura, e deixa seus leitores quase que paranóicos e estranhos. Os fãs de Cane estão ávidos pelo novo e aguardado livro de Cane, e não aguentam mais a espera.

John Trent juntamente com Linda Styles (Julie Carmen, de A Hora do Espanto 2), agente literária do escritor desaparecido, partem para Hobb´s End, cidade criada pela mente doentia de Cane, para resgatar o livro perdido e publicá-lo.

in-the-mouth-of-madness

A realidade se mistura à ficção, onde seres perversos irão cruzar pelo caminho de Trent e de Linda. (Cuidado com o velhinho que anda de bicicleta!!! Feio para cacete). A trilha sonora da produção é de John Carpenter, como em muitos de seus filmes, e Jim Lang.  

Olha o velhinho da bicicleta... Bizarrooo!!!
Olha o velhinho da bicicleta… Bizarrooo!!!

Nota-se em No limite da Loucura, efeitos especiais  e visuais espetaculares e caprichados e muito bem realizados que confirmam o trabalho de qualidade da equipe que trabalha com John Carpenter.

Por essa e outras obras de sua filmografia, Carpenter merece todo o respeito.

Lembra um pouco a garota de O Último Exorcismo...
Lembra um pouco a garota de O Último Exorcismo…

É uma produção perturbadora, tensa e surreal em algumas cenas, que mantém um clima de suspense em torno dos rumos que os personagens tomarão. O que ocorrerá aos EUA e ao planeta se os leitores de Sutter Cane lerem a sua mais nova obra?

Carpenter e a sua homenagem à Lovecraft e Stephen King.

Recomendado!

Curiosidades:

No limite da Loucura (1994) é a conclusão da trilogia não oficial do Apocalipse de John Carpenter, juntamente com O Enigma de Outro Mundo (1982) e Princípe das Sombras (1987).

O nome original da produção  é In the Mouth of Madness, que lembra o nome do conto de H.P. Lovecraft, At The Mountains of Madness (1931), traduzido, Nas Montanhas da Loucura.

Nota: 4,0 de 5,0.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s