VIDEOCASTMETEÓRICO: O que eu achei do longa Mama (2013) de Andrés Muschietti?

Mama (2013)

Por Calil Neto

Aqui está um meteórico comentário sobre a exibição que assisti de Mama (2013) de Andrés Muschietti na tela grande que estreou no Brasil em 05 de abril de 2013. A produção tem nada mais nada menos  que o respeitadíssimo e competente Guillermo del Toro ( O Labirinto do Fauno, Hellboy, O Orfanato, A Espinha do Diabo) na produção executiva.

Confira o meu rápidoooooooooooooooooooooooooo videocast:

O longa, é dirigido pelo estreante em longas, o argentino Andrés Muschietti, que também assina a roteiro com Barbara Muschietti (também produtora do longa) e Neil Cross apresenta em sua narrativa um pai que assassina a esposa e leva as pequenas filhas, Lily e Victoria para uma cabana em uma região isolada. O pai das crianças some de uma maneira repentina e estranha, e as crianças passam a habitar o local aparentemente desabitado.

Após cinco anos, as crianças são encontradas, e passam a conviver, após a decisão da justiça, em uma casa com o tio Lucas (Nikolaj Coster-Waldau, de Game of Thrones), que é gêmeo de seu irmão Jeffrey morto, e a belíssima esposa roqueira Annabel (Jessica Chastain, de A hora mais escura) .

As crianças estão agora estranhas e com o comportamento de selvagens, chamando sempre pelo nome Mama.

Mama

Mama será a mãe assassinada das crianças ou algo sobrenatural? Pensei… Não vou contar e soltar SPOILER para não estragar a graça de você leitor.

Mama apresenta algumas sequências com ritmo lento e clima monótono, mas também alguns momentos que conseguem assustar o espectador. Mama aborda os valores familiares, a importância de um pai e uma mãe na vida de uma criança. Na produção, presenciamos também a teoria do determinismo, com a seguinte frase de que o meio determina o homem, em relação as duas crianças que ficaram cinco anos isoladas em uma cabana e se transformaram em duas pequenas selvagens.

O nome de Guillermo del Toro no longa foi também uma jogada de marketing para atrair os curiosos e divulgar ainda mais o trabalho de Andrés Muschietti  que atraiu diversos olhares, entre eles de del Toro, com seu curta de 2008, como afirmei no videocast.

A direção de arte é  de Elis Lam (Jason X, Hairspray: Em Busca da Fama). O compositor Fernando Velázquez (O Orfanato, Demônio, Colina Escarlate – 2015)  é o encarregado das músicas da produção

O longa teve o orçamento de de 20 milhões de dólares, e faturou 28 milhões apenas no primeiro final de semana nos EUA.

Muschietti consegue muito bem dar conta do recado e dirige uma belíssima produção.

Recomendado.

Confira o curta original (2008):

Nota: 3,5 de 5,0.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s