Scanners, Sua Mente Pode Destruir (1981).

Por Calil Neto 

Scanners, Sua Mente Pode Destruir (Scanners/ 1981), é um thriller perturbador e chocante ao mesmo tempo, e que faz parte da fase medonha, sobrenatural, e que aborda a violência física dos seus personagens, dentro do sub-gênero body horror, do ousado/ impactante e polêmico diretor canadense David Cronenberg, que é referência para diversos outros diretores pelo mundo todo.

Na narrativa da produção, nascidos de uma experiência de laboratório, os scanners são pessoas com poderes telecinéticos (ou telepáticos?) e mentais, capazes de matar o próximo com a força da mente.

O personagem Cameron Vale (Stephen Lack), também um scanner, mas um scanner bonzinho, é “recrutado” pela empresa ConSec, para capturar o malévolo scanner Darryl Revok, Michael Ironside (O Vingador do Futuro) em uma atuação impecável, que tem o plano de disseminar a substância efemerol em clínicas médicas, fornecidas a mulheres grávidas, com o intuito de aumentar a raça de scanners no mundo. Cameron se vê envolvido em uma rede de conspiração envolvendo humanos e scanners, não sabendo em quem deve confiar.

A sequência mais impactante e antológica desta produção dirigida por Cronenberg, uma das mais marcantes da filmografia do cultuado diretor canadense, é o momento em que o mal caráter scanner Revok, explode a cabeça de um homem em um auditório, gerando um tumulto ao redor do local.

Como curiosidade desse momento em especial, é que foi usada uma cabeça de látex cheia de ração de animais e fígados de coelhos, que foi atingida por um tiro de espingarda.

Scanners foi indicado a prêmios em diversos festivais e recebeu o título de melhor filme internacional. Dick Smith (O Poderoso Chefão, O Exorcista, A Sentinela dos Malditos) foi premiado na categoria de melhor maquiagem no Saturn Awards, prêmio da Academia de Cinema de Ficção Científica, Fantasia & Horror, dos Estados Unidos, em 1981.

Scanners, Sua Mente Pode Destruir, está com certeza, no hall das grandes e inesquecíveis produções da fase mórbida e visceral de Cronenberg.

Super recomendação!

Sequências e derivados

Scanners, Sua Mente Pode Destruir, teve as continuação, Scanners 2 – A Força do Poder (1991), e Scanners III – O Duelo Final (1992),dirigidos ambos por Christian Duguay, que não tiveram o mesmo impacto do filme original.

Outros dois filmes desnecessários, aproveitaram do sucesso de Scanners, como Scanner Cop – O Destruidor de Mentes (1994),dirigido por Pierre David, e Scanner Cop 2 – A Vingança de Volkin (AKA Scanners – A Batalha Final) (1995), dirigido por Steve Barnett.

Nota: 3,5 de 5,0.

Anúncios

Um comentário em “Scanners, Sua Mente Pode Destruir (1981).

  1. Bem, se minha mente NÃO matasse, até que eu deixaria, sim, uma resposta. Agora, deixem vocês, ora, uma perguntinha clássica, lugar comum, presumível a dar com pau:

    – Como é que você faz isso , Cesão?

    – Ora, ora, ora, se eu o disser, perde a graça, digo, a desgraça no final.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s