Review – Scanners, Sua Mente Pode Destruir (1981).

Por Calil Neto 

Scanners, Sua Mente Pode Destruir (Scanners/ 1981), é um thriller perturbador e chocante ao mesmo tempo, e que faz parte da fase medonha, sobrenatural, e que aborda a violência física dos seus personagens, dentro do sub-gênero body horror, do ousado/ impactante e polêmico diretor canadense David Cronenberg, que é referência para diversos outros diretores pelo mundo todo.

Na narrativa da produção, nascidos de uma experiência de laboratório, os scanners são pessoas com poderes telecinéticos (ou telepáticos?) e mentais, capazes de matar o próximo com a força da mente.

O personagem Cameron Vale (Stephen Lack), também um scanner, mas um scanner bonzinho, é “recrutado” pela empresa ConSec, para capturar o malévolo scanner Darryl Revok, Michael Ironside (O Vingador do Futuro) em uma atuação impecável, que tem o plano de disseminar a substância efemerol em clínicas médicas, fornecidas a mulheres grávidas, com o intuito de aumentar a raça de scanners no mundo. Cameron se vê envolvido em uma rede de conspiração envolvendo humanos e scanners, não sabendo em quem deve confiar.

A sequência mais impactante e antológica desta produção dirigida por Cronenberg, uma das mais marcantes da filmografia do cultuado diretor canadense, é o momento em que o mal caráter scanner Revok, explode a cabeça de um homem em um auditório, gerando um tumulto ao redor do local.

Como curiosidade desse momento em especial, é que foi usada uma cabeça de látex cheia de ração de animais e fígados de coelhos, que foi atingida por um tiro de espingarda.

Scanners foi indicado a prêmios em diversos festivais e recebeu o título de melhor filme internacional. Dick Smith (O Poderoso Chefão, O Exorcista, A Sentinela dos Malditos) foi premiado na categoria de melhor maquiagem no Saturn Awards, prêmio da Academia de Cinema de Ficção Científica, Fantasia & Horror, dos Estados Unidos, em 1981.

Scanners, Sua Mente Pode Destruir, está com certeza, no hall das grandes e inesquecíveis produções da fase mórbida e visceral de Cronenberg.

Super recomendação!

Sequências e derivados

Scanners, Sua Mente Pode Destruir, teve as continuação, Scanners 2 – A Força do Poder (1991), e Scanners III – O Duelo Final (1992),dirigidos ambos por Christian Duguay, que não tiveram o mesmo impacto do filme original.

Outros dois filmes desnecessários, aproveitaram do sucesso de Scanners, como Scanner Cop – O Destruidor de Mentes (1994),dirigido por Pierre David, e Scanner Cop 2 – A Vingança de Volkin (AKA Scanners – A Batalha Final) (1995), dirigido por Steve Barnett.

Nota: 3,5 de 5,0.

Anúncios

Um comentário em “Review – Scanners, Sua Mente Pode Destruir (1981).

  1. Bem, se minha mente NÃO matasse, até que eu deixaria, sim, uma resposta. Agora, deixem vocês, ora, uma perguntinha clássica, lugar comum, presumível a dar com pau:

    – Como é que você faz isso , Cesão?

    – Ora, ora, ora, se eu o disser, perde a graça, digo, a desgraça no final.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s