Review – Pequenos Guerreiros (1998).

 

Por Calil Neto 

21 de agosto de 2017

Pequenos Guerreiros ( Small Soldiers – 1998) é outra pérola da filmografia do cultuado diretor norte-americano Joe Dante, o mesmo do clássico dos anos 80, Gremlins.

Com produção da Universal e DreamWorks, no enredo temos alguns bonecos que ganham vida e começam a guerrear entre si e os humanos. Os Comandos Elite, os soldadinhos junto com estranhas bonecas, contra os Gorgonóides e Humanos.  No elenco temos a atriz Kirsten Dunst em comecinho de carreira interpretando a garotinha Christy Fimple, e temos atores conhecidos como Tommy Lee Jones, Sarah Michelle Gellar e Christina Ricci dublando os bonecos.

Com bela trilha sonora de Jerry Goldsmith e ótimos efeitos de animação por CGI e bonecos animatrônicos, temos um belíssimo filme sessão da tarde para todas as idades. Sou fã das produções de Joe Dante.  

Nota: 3,5 de 5,0.

Review – A Noite dos Mortos-Vivos (1968).

Por Calil Neto

12 de agosto de 2017.

A franquia de games Resident Evil e o seriado The Walking Dead praticamente não existiriam sem o filme A Noite dos Mortos-Vivos ( Night of the Living Dead de 1968), que se tornaria um dos mais famosos, um clássico, um cult e um dos melhores filmes de terror da história do cinema mundial. A Noite dos Mortos-Vivos dirigido pelo que seria considerado o pai dos zumbis modernos George A. Romero falecido em julho de 2017, é um filme independente e de baixo orçamento, com roteiro de Romero junto com o lendário John Russo que também interpretou um zumbi no filme e depois lançaria um livro homônimo baseado na história do filme.

A trama é interessantíssima e foi muito inteligente na época, o que tornaria futuramente este filme um clássico e primeiro filme (ooooo precursor) do subgênero dos zumbis modernos comedores de carne de humanos. Na narrativa temos um casal de irmãos Johnny ( Russell Streiner ) e Barbra ( Judith O’Dea ) que vão levar flores no túmulo do pai em um cemitério em Pittsburgh. O engraçado é que aparece um zumbi andando que a principio nem parece um zumbi e o personagem Johnny começa a tirar sarro do zumbi como se ele já soubesse da epidemia de zumbis causada por radiação nas localidades. Não entendi o que Johnny estava querendo dizer ou brincar. Tirar o personagem próprio sarro da criação de Romero? 

O filme foi ousado e por que não dizer revolucionário na época e também por escalar um ator negro para ser um dos atores protagonistas no longa, Ben, interpretado muito bem por Duane Jones. Não era tão freqüente termos atores negros protagonistas de filmes. Só para constar no começo do cinema nos Estados Unidos não tínhamos atores negros, eram atores brancos com a cara pintada de negro. George A. Romero teria se baseado em dois filmes clássicos de terror para realizar A Noite dos Mortos-Vivos, Carnaval de Almas ( Carnival of Souls de 1962 ) de Herk Harvey  e Mortos que Matam ( The Last man in Earth  de 1964), uma das adaptações do livro Eu Sou a Lenda, de Richard Matheson.

Um belíssimo filme, com a sua fotografia em preto e branco, que com certeza está no meu e no de diversas pessoas no TOP 10 dos melhores filmes de terror de todos os tempos. Um filme divisor de águas que daria origem a primeira trilogia clássica de mortos de Romero ! Um filme do gênero para ser visto e revisto sempre !!!!

Nota: 4,0 de 5,0.

Review – Ninguém segura esse bebê (1994).

Por Calil Neto 

30 de julho de 2017.

Ninguém segura esse bebê ( Baby’s Day Out – 1994) é uma das pérolas divertidas dos anos 90 dirigida por Patrick Read Johnson e escrita por John Hughes roteirista de Esqueceram de Mim 1 e 2 e  Beethoven: O Magnífico (1992). Esse filme mexeu comigo nos anos 90, minha adolescência, e me divertia muito com ele. Tenho um carinho especial por ele.

No roteiro temos 3 patetas, sendo Eddie, o cabeça do grupo interpretado pelo ótimo Joe Mantegna, o barbicha Norby (Joe Pantoliano) e o grandalhão Veeko (Brian Haley) que estão atrás para seqüestrar o filho de magnatas, o bebê Bink, interpretados pelos irmãos gêmeos Adam Robert Worton e Jacob Joseph Worton,  que na época tinham entre 1 e 2 anos de idade. Temos um porém: o bebê é inalcançável. No elenco temos também Cynthia Nixon a Miranda de Sex and the City (1998-2004) que interpreta a babá Gilbertine e a atriz Lara Flynn Boyle que fez a Donna do belíssimo seriado Twin Peaks de David Lynch e Mark Frost.

Para quem é da época um filme memorável.

Nota: 3,5 de 5,0.

Review – A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell (2017).

Por Calil Neto

24 de julho de 2017

O filme A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell foi subestimado na época de seu lançamento nos cinemas ao redor do mundo e é estrelado por uma das atrizes mais requisitadas em Hollywood neste começo de século, Scarlett Johansson.

O longa é a adaptação do mangá de Shirow Masamune que ganhou um dos animes nos anos 90 mais queridos pelo público, Fantasma do Futuro, dirigido por  Mamoru Oshii, que se tornou com o passar do tempo cult. Esta bela adaptação em live-action dirigida por Rupert Sanders de Fantasma do Futuro (1995), A Vigilante do Amanhã, título que ganhou no Brasil, é um filme profundo e filosófico, e pega a premissa do universo de Ghost in the Shell em um mundo “dominado” pelas máquinas, a Inteligência Artificial e o mais importante, a tecnologia. Reflete também o que seria o ser humano sem a sua memória e lembranças?

É um universo que não deixa de ser uma crítica à modernidade e pós-modernidade. Pode parecer brincadeira, mas não deixa de ser uma crítica ao sistema dominado pelas tecnologias. Ao nosso mundo atual. A dependência do ser humano em relação às tecnologias.

Belo filme, muito bem produzido com os seus efeitos digitais! Vai se tornar um grande filme-adaptado com a passagem do tempo, não somente pela produção, mas também por sua mensagem e crítica social! Apesar de existirem outros filmes que façam essa crítica.

Nota: 3,5 de 5,0.